terça-feira, 20 de setembro de 2011

Palhaço!



"Curso de palhaço?!?! Precisa disso?!?!? O que que alguém vai aprender num curso de palhaço?!?!?!" - me perguntam muitos amigos... a resposta é muito simples: nada, não se aprende nada! Na verdade, desaprendemos.

Vou tentar explicar. Vamos viajar um pouco...

Lembre-se de uma cena comum da sua infância: no colégio, no play, na rua, na piscina, no clube... um local onde você se sentisse muito a vontade quando criança, aos 4/5 anos. Viva novamente esta situação. De verdade. Aproveite a viagem...

Agora afaste-se de si (como numa levitação espíritual) e se veja de fora, como se você estivesse assistindo aquela criança (que é você mesmo) na televisão, ok?

A criança (você) em seu habitat natural, sem medo, sem vergonha, na mais pura essência. Lembre-se que é você que está ali. Assista a você fazer o que você gosta. Correndo, rindo,  jogando bola, atirando, cantando... sei lá, divirta-se como você sempre fez enquanto criança... aliás, aproveite a diversão, de verdade.

Agora aproxime-se de você, como se você tivesse acabado de chegar naquele local. Veja o estado de espírito e a leveza daquela criança.... Aproxime-se de você mesmo, da sua essência, olhe para você, provavelmente com uma bola, um boneco, uma boneca, ou qualquer outro brinquedo na mão... olhe fixamente pra você.

Você se reconhece??? Se identificou com a criança??? Tomara que sim... 

Agora, aproxime-se ainda mais... e mais... dê um abraço naquela criança, em você mesmo. Sinta o cheiro, a leveza, a inocência da sua essência. 

Pronto, agora, abraçado à sua essência, você está no estado palhaço! Palhaço é um estado de espírito, uma sensação, é VOCÊ desprovido de qualquer ego, desprovido de julgamento alheio, sem medo de errar, em perfeita sintonia com sua essência. É a criação de Deus sem qualquer interferência humana/social.

Quando pinta aquela dor de cabeça (ou TPM), ficamos mal humorados, grossos, sem vontade de falar com ninguém, ou reclamando de qualquer coisa, e nem por isso deixamos de ser nós mesmo, certo?  

Então, no estado palhaço, não se vê doença, dor, dificuldade, pena... só se vê o que tem de bom nas pessoas, nas situações, na vida! Não que o palhaço ignore a existência do que é ruim, apenas descarta e não perde tempo com o que é chato, com o que não lhe traz felicidade na hora. 

Tem coisa mais simples, mais palhaço, mais essência, mais divertido, do que Charlie Chaplin e Chaves?? E quanto mais você conecta sua essência, mais você quer estar próximo a ela - aprecie sem moderação!


Por isso você não aprende nada; apenas desaprende ser este personagem do dia-a-dia.

Não seja cool, seja clown!

7 comentários:

Angélica Arechavala disse...

mt bom! Adorei a foto do Igor!

Rodrigo Telles disse...

Não seja cool, seja clwon é ótimo!! Abraço!

Rodrigo Terlles disse...

Corrigindo: clown...rsrsrsrs

Taiyo Omura disse...

bom pra caralho!!! ae , taligado que meu nome não é taiyo, né? esse é meu personagem! huahuahuauha viva o palhaço!

Yuri disse...

muito bom!

Álvaro disse...

É isso! Descreveu a essência além dos seis sentidos, além dos sete sentidos, como diria o criador dos cavaleiros do zodíaco.

Claudia Japa disse...

MUuuuuito bom Fofo!!!!