sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Cosas de la vida 6


A notícia da Síndrome de Down na criança deixou Ana, ainda grávida, triste. Logo depois bateu um ânimo, uma força interior buscando conforto e resposta.

"Deus não dá uma cruz maior do que podemos carregar"; "isso não acontece por acaso"; "ela precisa da minha ajuda e não posso abandoná-la"; "isso será uma lição pra mim e pra todos"; "com certeza ela terá muito para me ensinar"... - esses eram os pensamentos que rondavam a cabeça de Ana.

E com o passar dos anos foi isso mesmo que aconteceu. Bruna, sempre alegre, era o xodó da família.


Ana tinha sempre em mente que a doença não poderia abalar a menina. Natação, música, estudos, dança, teatro, balé. Bruna fazia de tudo. Ana estudava a fundo sobre a doença e estava sempre buscando novas idéias e tratamentos para que Bruna se desenvolvesse.

Até que vem uma triste notícia: Bruna, com três anos, estava com LEUCEMIA!

Então começa uma rotina pra lá de dura, agoniante! Meses de tratamento no hospital. Uma alternância entre pequenas melhoras e grandes recaídas que não parecia ter fim!

E Ana, sempre confiante, cada vez mais estudava a doença em busca de soluções.

Até que não tinha mais jeito... o óbito era inevitável... a pequena Bruna já estava em coma por alguns dias. E Ana vendo sua filha partir buscava uma explicação, um sentido...

Até que, entregue, sem forças, Ana simplesmente parou... parou de estudar, de pensar, de controlar...   e se aproximou de Bruna... olhou de perto, ficou perto... teve uma sensação que nunca havia experimentado: estava olhando para a filha e não pra doença!  


Foi ali que ela se deu conta de quanto tempo havia perdido com a doença e quanto deixara de aproveitar a pequena Bruna... até que ela partiu!


Esta foi a maior lição que ela deixou. 

5 comentários:

Chris Grafa disse...

Faz pensar...
A nossa atenção deve se voltar para o essencial, nem sempre é fácil!
Obrigado pela história!
Abraço

Anônimo disse...

muito bonito!

Angélica Arechavala disse...

MARAVILHOSo...

Filipe José disse...

É Juninho... a vida é cheia de surpresas... temos que viver o hoje e esquecer um pouco o futuro, se não o tempo passa e não vivemos nem o presente e nem o futuro.

Bom texto, uma triste história. Espero que Deus conforte o coração de Ana e de toda a família, pq só Ele pode.

Abs;
Vilano

Claudia Japa disse...

Lindo!