quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

convidados 2

O convidado da vez é o Marcio. Estamos sempre juntos. Por isso, todos dizem que somos namorados; seria incesto, pois o considero um irmão, de verdade. Vamos ver o que o flamenguista fanático nos conta. "Subíamos as escadas rolantes ansiosos... afinal, era a chance do Flamengo ir à libertadores de novo. Bastava ganhar do Atlético-PR e o Cruzeiro perder que a vaga estava garantida. Entramos no Maraca com as cadeiras Beto (grátis - gosto muito!) e fomos, de penetra, para o Camarote da empresa que meu tio trabalha. Ele não estava. Fingimos que éramos da galera. Nos deparamos com um banquete de primeira. Petiscos, salgadinhos, pizzas, cachorros quente e muuuita cerveja. Identificamos logo o manda-chuva do camarote. As "bolinhas" começaram a pintar na TV do camarote, indicando os gols da rodada. Gol do Paraná contra o Santos (que também estava brigando pela vaga, mas seu placar nao interferiria nos interesses do Fla). O camarote inteiro vibrava, e eu nervoso e ciente da tabela gritava para todos: "O que importa é o Cruzeiro, esquece o Santos!!!". Nada foi comentado a respeito. Mas cadê o Juninho nessa história toda? Percebi que ele não estava nem aí para o jogo. De costas pro campo, ele comia e bebia de tudo. O jogo comendo solto, clima tenso, e ele me chama com a voz baixa: "Marcio, olha o salgadinho que eu inventei"..... ele coloca amendoim dentro de uma azeitona sem caroço, fazendo uma espécie nova de sanduíche. O animal tava ali só para roer. Uns 5 minutos depois, outro gol do Paraná. Festa no camarote. E eu esbravejava: "Calma pessoal,o que importa é o Cruzeiro!!!" Fim do primeiro tempo, Fla 0 a 0; Santos empata, o camarote desanima, e eu: "O que importa é o Cruzeiro!!!" Mas todos me ignoravam... deviam estar pensando..."quem é esse cara??" A essa altura o Juninho e eu já tínhamos nos ligado na importância de sempre agradar ao manda-chuva. Bastava o copo de whisky ficar vazio, que a gente providenciava logo um refil para ele. O cara tava se amarrando. Segundo tempo e logo o Fla faz dois a zero (Renato Augusto e Juan); ao mesmo tempo o Santos vira e eu insistia: "O que importa é o Cruzeiro caramba!!!". O segundo tempo ia se encaminhando para o fim e finalmente o Cruzeiro toma um gol . O jogo acaba, Mengão tava na Libertadores! “Agora podem comemorar!!!” – gritei. Então, chamei o manda-chuva e mais uns gatos pingados que estavam perto, fizemos uma roda e puxei um brinde:"Esse pessoal que veio hoje aqui mostrou que é pé quente. Temos que manter essa união sempre. Ou seja, ano que vem todos juntos no Camarote em TODOS OS JOGOS!!!!! 1,2, 3,....MENGO!!!!!!!!!!!!!!" Todo mundo doidão adorou meu discurso, aplaudiram e concordaram. Roemos mais um pouco e fomos embora porque o lugar ia fechar ( por nós ficaríamos até o final do Fantástico). Ano seguinte, naturalmente, não fomos a nenhum jogo de camarote porque ninguém nem lembrou da nossa existência. Nem precisava, esse dia valeu pelo campeonato todo!"

2 comentários:

Felipe disse...

Hahuhuaha, boa Márcio.
Mengão sempre dando enormes alegrias a sua torcida

Angélica Arechavala disse...

Juninho, coloca a sua foto nos seguidores!!!!
beijos da irmã.